top of page
Buscar

Ressaca: efeitos da intoxicação aguda por álcool


Imagem: VintageStockPhotos


O QUE É RESSACA?

A “ressaca” parece ser a maneira que nosso organismo tem de nos lembrar sobre os perigos do consumo excessivo de álcool, afinal, é o resultado da intoxicação aguda pela substância. Apesar de ser um dos assuntos mais procurados na internet, a ressaca ainda é um dos temas relacionados ao álcool que precisa ser mais estudado. Com o intuito de aumentar a consistência e a confiabilidade de dados nesta área, cientistas renomados fundaram o Alcohol Hangover Research Group (AHRG) em 2010.

Um dos avanços foi o consenso sobre a definição de ressaca: “a combinação de sintomas físicos e mentais, experimentada no dia seguinte a um único episódio de consumo excessivo, começando aquando a concentração de álcool no sangue (CAS) se aproxima de zero" (1,2). Isso significa que os sintomas da ressaca iniciam-se cerca de 6 a 8 horas após o consumo, em média, e podem durar até 24 horas.


Ela é caracterizada por efeitos físicos e mentais adversos, com uma variedade de sintomas de “mal-estar”, sendo os mais comuns: dor de cabeça, náuseas, problemas de concentração, boca seca, tontura, desconforto gastrintestinal, cansaço, tremores, falta de apetite, sudorese, sonolência, ansiedade e irritabilidade.

A causa dos sintomas da ressaca é atribuída principalmente ao acetaldeído, principal produto da metabolização do álcool(3,4). Como resultado, podem ocorrer diversas reações no corpo que irão compor o que se entende como ressaca, tais como:

  • Desidratação, que causa sede, sensação de boca seca, e dores musculares decorrentes da perda de eletrólitos;

  • Aumento da produção de suco gástrico que pode causar irritação gastrintestinal e resultar em dor abdominal, náusea e vômitos.

  • Hipoglicemia induzida pelo álcool, que pode afetar o funcionamento cerebral, levando ao cansaço e mudanças de humor observados na ressaca.

  • Alterações no padrão do sono, bem como na sua qualidade, levando à fadiga e alterações no ritmo circadiano.


O QUE INFLUENCIA SUA OCORRÊNCIA E GRAVIDADE?

Há uma variação muito grande na presença e intensidade dos sintomas da ressaca entre as pessoas, motivada por fatores como as características fisiológicas (estrutura física, sexo, vulnerabilidade genética, idade e condição de saúde), aspectos do beber (quantidade e frequência, qualidade da bebida e ingestão de água e alimentos) e contexto do consumo (beber em grupo ou em ambientes que estimulam o consumo).(3)


De todo modo, a quantidade de álcool ingerida está diretamente relacionada aos sintomas da ressaca. Pesquisa recente(5) verificou um número significativo de participantes que relataram ressaca após a ingestão de baixas doses de álcool, e os autores sugerem que a ressaca poderia ocorrer após o consumo de qualquer pico de CAS, mas que é mais provável de ocorrer se o indivíduo beber substancialmente mais álcool do que costuma tomar em ocasiões que não resultam em ressaca.