Buscar

Prazer associado ao consumo de álcool pode indicar risco de problemas no futuro

Crédito da imagem: Istock


Indivíduos com maior sensibilidade aos efeitos de prazer e sensação de recompensa relacionados ao álcool são mais propensos a se tornarem dependentes de bebidas alcoólicas no futuro. É o que mostra um estudo realizado pela Universidade de Medicina de Chicago que acompanhou, durante dez anos, jovens adultos que consomem álcool.

O estudo, publicado no jornal oficial da Associação Americana de Psiquiatria,avaliou 190 indivíduos em intervalos regulares ao longo do período pesquisado. Aqueles que, após dez anos, desenvolveram alcoolismo, foram os que apresentavam níveis mais altos de estímulos prazerosos e menor sedação ao consumir a substância , em comparação com os demais participantes.


Vulneráveis à dependência

Os resultados indicam que pessoas mais sensíveis aos efeitos do álcool, ou seja, que sentem uma resposta positiva forte com o consumo da bebida, são mais propensas a se tornarem dependentes no futuro. A descoberta sugere que é possível identificar precocemente o risco de um jovem ter problemas com a bebida mais tarde.

O acompanhamento ainda mostrou que os efeitos prazerosos obtidos não tiveram intensidade reduzida com o tempo para esses indivíduos. Muita gente acredita que dependentes desenvolvem uma tolerância e passam a beber muito para sentir prazer, mas isso não foi observado neste estudo. Pelo contrário, os participantes que tiveram problemas com álcool tinham uma resposta positiva logo que começavam a beber, e é justamente isso que fazia com que bebessem mais.

Para os especialistas envolvidos no estudo, a esperança é de que os resultados ajudem a aumentar o entendimento de como alguns indivíduos são mais vulneráveis ao alcoolismo, enquanto outros conseguem continuar bebendo socialmente durante toda a vida. Além disso, os resultados podem levar a tratamentos mais eficazes para a dependência, assim como a intervenções precoces entre usuários com maior risco.

Indivíduos que têm problemas com álcool muitas vezes se sentem frustrados ao ver outras pessoas beberem com moderação, pois se sentem totalmente incapazes disto. Mas, de acordo com o estudo, o cérebro de cada um reage ao álcool de forma diferente. Compreender a raiz do problema pode gerar empoderamento e estimular as pessoas a tomar decisões mais acertadas, em vez de, por exemplo, usar o álcool como uma válvula de escape para driblar emoções negativas.


(link: https://doutorjairo.uol.com.br/leia/prazer-associado-ao-consumo-de-alcool-pode-indicar-alcoolismo-no-futuro-sugere-estudo/)

17 visualizações

Posts recentes

Ver tudo